Rádio Hinos Inspirados


domingo, 3 de setembro de 2017

DEPRESSÃO E SUICÍDIO NO MEIO CRISTÃO



Como cristãos, somos desafiados a buscar o equilíbrio entre o que cremos e o que convivemos. Somos cidadãos de cidadania dupla, isto é, somos da terra e também do céu. Lembremos que Jesus disse que embora estejamos no mundo, não somos do mundo (Jo 17.11,16). Sendo assim, como a Igreja deve encarar os desafios quando ela é surpreendida por um ambiente que evolui depressa e a cada dia?

Nos dias em que vivemos, na sociedade que convivemos e somos afetados direta e indiretamente, é altamente necessário a Igreja saber manejar bem a Palavra da Verdade (2Tm 2.15), e também, conhecer o mundo que a cerca. Salomão era um ótimo observador. O livro de Eclesiastes é a prova máxima disso.

Como Igreja - portadora e divulgadora da vida - o que temos feito para que pessoas desfrutem de uma vida tranquila, saudável e preservada pelo Autor da Vida?

Somos seres também pertencentes ao mundo físico, psicológico e emocional. E como um todo, precisamos cuidar bem de cada parte de nossa tricotomia (espírito, alma e corpo).

Diante de questionamentos assim, e a Bíblia diz que “pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada” (Mt 18.16b), tomemos por base alguns versículos bíblicos (baseados na ARA) que lançam luz sobre o obscuro assunto.

· “e invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás”. Salmos 50.15

· “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas”. Mateus 11.28,29

· “O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”. João 10.10

· “Tenho-vos dito estas coisas, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis tribulações; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. João 16.33

· “Não vos sobreveio nenhuma tentação, senão humana; mas fiel é Deus, o qual não deixará que sejais tentados acima do que podeis resistir, antes com a tentação dará também o meio de saída, para que a possais suportar”. 1Coríntios 10.13

Quantas dores seriam evitadas se a Palavra de Deus e todo o seu arcabouço doutrinário fosse explicado e ensinado para o povo de Deus. Quantas famílias estariam de pé se a liderança orientasse seus liderados acerca das agruras da vida.

O cristão verdadeiro (seja um líder, seja um liderado), sabe que não é super-homem, que não é um robô desprovido de emoções. Tem consciência de que está sujeito às mais diversas intempéries por conta da sua natureza pecaminosa. Porém não permanece deprimido, não fica estagnado na tristeza. Não evolui para uma distimia e muito menos para depressão grave ou profunda. Não busca constantemente tirar a própria vida, pois, sabe que a mesma é Deus quem dá. Antes, o cristão genuíno lembra das promessas feitas por Deus em Sua Palavra e nelas descansa, mesmo sob pressão. O cristão restaurado, redimido, justificado, adotado, vivificado e avivado conhece a voz do Seu Senhor que o chama para fora e diz: “Levanta-te! Desperta, pois, ainda tem obra para fazeres! ”


Nos Laços do Calvário,
Ir. Márcio da Cruz