Rádio Hinos Inspirados


sexta-feira, 8 de maio de 2009

O ALERTA DE DEUS: FAÇA A MINHA OBRA!!!


-->
O Missionário e a sua Chamada Pessoal

A Bíblia relata alguns fatos sobre chamada para trabalhar e as escusas dos chamados. Em uma geração de indecisos e na maioria dos casos empolgados, como ter a certeza, a convicção de fato que o que estou fazendo é a minha vocação no Reino de Deus?

O primeiro passo para ter a certeza da chamada e da convicção é ser CONVERTIDO de fato e de verdade.

Mas, o que seria conversão?

De acordo com o Dicionário Teológico (CPAD), conversão é a “mudança que Deus opera na vida do que aceita a Cristo como seu Salvador pessoal, modificando-lhe radicalmente a MANEIRA de SER, PENSAR e AGIR”.

Jesus rejeitou alguns que tentavam seguí-lo sem abrir mãos de seus privilegios (Mt 19.16-22; Lc 14.25-33). Há muitos que se consideram fieis a Deus, mas fazem coisas que Ele reprova. É essencial uma constante auto análise.

Mas, o que Jesus exige para sermos realmente aceitos para sermos usados com poder e autoridade?


1. Humildade Espiritual
O primeiro passo em direção à bem-aventurança é ser pobre em espírito (Mt 5.3). A verdadeira conversão só ocorre quando a pessoa se humilha primeiro.

Mt 18.1-5 nos mostra Jesus ensinando que se deve ser como uma criança (inocência, pureza, alegria, sinceridade) para entrar no Reino de Deus e porque não dizer, ser usado por Ele. Aleluia por isso! Oh, Senhor, torna-nos como crianças em Tua presença.


2. Cálculo das Despesas
Na atual teologia que passeia na Igreja, pagar preço não é visto com bons olhos por muitos cristãos. Afinal, como alguns dizem “pagar o quê, se Jesus pagou tudo na cruz?”.

Isto é verdade se for inserido no contexto de salvação, pois, “pela graça sois salvos mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus – Ef 2.8”.

Jesus tinha conhecimento do preço a ser pago para efetuar a obra da salvação. Era-lhe necessário enfrentar a cruz. De Sua boca – frisando que Isaías profetizou + ou – 700 anos antes que não foi achado dolo em Sua boca – saíram as seguintes palavras:

“Se alguém vem a mim, e não aborrece a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs e ainda a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. E qualquer que não tomar a sua cruz e vier após mim não pode ser meu discípulo... Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo – Lucas 14.26,27,33”.

O preço a qual a Palavra do Senhor se refere, é o de renunciar (desistir, deixar voluntariamente, rejeitar, recusar, abandonar) o EU (vontades, desejos, paixões) para poder mostrar que a nossa conversão é sincera e verdadeira. A verdadeira conversão molda as nossas intenções, motivações.


3. Verdadeiro Arrependimento
O arrependimento (tristeza causada pela violação das leis divinas, pela qual o indivíduo é constrangido a voltar-se a Deus para implorar-lhe o imerecido favor) é essencial à verdadeira conversão (At 2.38; 17.30), e envolve morrer para o pecado (Rm 6). Tem que haver uma mudança radical de estilo de vida, que é o reflexo do arrependimento. Não há conversão sem transformação. O arrependimento é um compromisso sério, determinado, de mudar sua própria vida. “Que tal se arrepender daquele detalhezinho que está guardadinho lá no cantinho do quartinho escuro no seu coraçãozinho e trancadinho a 70x7 chaves?”


4. A Chamada é Pessoal
A chamada para o serviço cristão precisa ser genuína (Êx 3.2-10); não pode ser fruto do emocionalismo, ou do sensacionalismo, ou ainda do sentimentalismo, mas, uma experiência comprovada que mude a vida do obreiro. Como disse o rabino da Galileia: “pelos frutos se conhece as árvores – Lc 7. 44”.

Exemplo de Chamada Verdadeira

A CHAMADA DE MOISÉS

a. Na chamada missionária tem que haver fogo – Êx 3.2;
b. Tem que haver santidade – Êx 3.5;
c. Santidade deve ser visível na vida do missionário – 1Pe 1.14-16;
d. Uma marca na vida do missionário – 2Rs 4.9; Gl 6.17; Hb 12.14.

O vaso para Deus usar tem que ser escolhido (At 9.15), não deve ser qualquer um e isso nos ensina que Deus não aceita qualquer coisa no altar. Vejamos as características do vaso:

  • Não pode ser quebrado senão o azeite se perde;
  • Deve estar de boca pra cima para receber o azeite;
  • Tem que estar limpo, senão o azeite se contamina;
  • Tem que estar vazio, para ser cheio do Espírito Santo;
  • Tem que estar no lugar certo, em plena disponibilidade para o uso de Deus;
  • Tem que estar pronto para ser quebrado se necessário, pois o divino Oleiro dá ao vaso a forma e tamanho que Ele bem entender.

Que a chama do Senhor arda em sua vida e jamais se apague!
Márcio Cruz

Um comentário:

  1. Parabéns Pr.Marcio!
    Realmente foste um instrumento do Senhor Deus trazendo esse assunto, em um mundo onde "Chamada Missionária” tem sido vista por "outros" valores!.
    Que Deus possa te abençoar tremendamente.
    Gostaria de saber se o senhor esta aceitando convite pra pregar?Por favor, entre em contato comigo. (92)9118-5005. Miss. Márcia Oliveira.
    Shalom Adonai.

    ResponderExcluir

Antes de preencher, um conselho: pense no que vai escrever. Pondere suas palavras. Respeito é tudo e inteligente.
Venha somar com seus comentários para que todos saiam ganhando.

Ir. Márcio Cruz